Entenda por que a bondade é contagiosa

Novo estudo mapeou o que ocorre com o corpo e o cérebro quando testemunhamos atos de bondade e compaixão

Você já emocionou ao assistir um filme no qual o super-herói salva os inocentes das garras do vilão? Pesquisadores têm um nome para essa sensação que temos ao testemunhar atos de bondade: elevação moral. E eles apontam que esse sentimento pode trazer muitos benefícios. Estudos anteriores já revelaram que a elevação moral poderia tornar as pessoas mais otimistas, com o desejo de serem melhores e agirem de forma altruísta.

Pois um recente ;estudo de psicobiologia se propôs a ;entender quais são as reações do corpo no momento da elevação moral. Para realizá-lo, foram observados ;104 estudantes universitários. Enquanto alguns deles assistiam a vídeos com cenas de atos de compaixão ou atos heroicos, outros contemplavam situações cotidianas divertidas. Durante esse experimento, os pesquisadores mediam os ;batimentos cardíacos e verificavam a atividade do córtex pré-frontal (parte do cérebro associada ao processo cognitivo e ao planejamento de comportamentos e pensamentos complexos) desses alunos.

Para o procedimento também foi medida a arritmia sinusal, um indicador da atividade no sistema nervoso parassimpático, responsável por responder ações de calma. As batidas cardíacas, no entanto, são um indicador do sistema simpático, que comanda ações de estresse. Por ser a parte do cérebro associada aos sentimentos “calorosos” e às ligações que construímos com outras pessoas, os pesquisadores imaginavam a ativação do sistema parassimpático durante a experiência da elevação moral. Mas o resultados mostraram um padrão diferente: os estudantes que assistiram aos vídeos pró-elevação, tiveram uma ativação dupla, ou seja, nos dois sistemas cerebrais, durante os pontos mais emocionantes dos vídeos. Já os estudantes que assistiram vídeos meramente divertidos não tiveram nenhum dos sistemas ativados.

Essa ativação dupla durante a sensação de elevação moral surpreendeu uma das autoras do estudo, Sarina Saturn, pesquisadora da Oregon State University.

“Isso realmente é um padrão incomum, no qual você vê os dois lados do sistema nervoso recrutados para agir em uma única emoção”.

Ela comenta que os resultados começaram a fazer sentido depois de analisar outros estudos. A dupla ativação do sistema simpático e parassimpático acontece em situações nas quais o indivíduo se comporta em prol de outra pessoa, mas que colocam o seu corpo em estado de alerta, como nas atividades sexuais e em outras situações, como ao cuidar dos filhos. O mesmo sintoma deve acontecer durante o processo de elevação moral. Afinal, ao vermos uma ação de compaixão, nós testemunhamos sofrimento e isso pode ser estressante. No entanto, ao vemos o sofrimento ser aliviado por um ato altruísta, os batimentos do coração se acalmam, permitindo, assim, que o estresse vá embora e os sentimentos de calma e prazer voltem à tona. Essa mistura de sentimentos é provavelmente o que acalma o nosso coração em um nível suficiente para nos dar motivações para agir de maneira mais bondosa no futuro.

“É interessante ver que o que acontece no seu corpo vira uma inspiração para as pessoas serem mais gentis” diz Sarina. “Eu acho que nós sabíamos disso de forma anedótica, mas agora é ótimo ver o que acontece de fato nos nossos corpos e cérebros”.

O que se pode concluir é que o fenômeno chamado de elevação mortal inspira o altruísmo devido a uma mistura de excitação e desejo de proteger os outros. A pesquisadora acredita que o hormônio oxitocina é o provável responsável por isso e que ele pode ser também a explicação para as reações fortes e viscerais que as pessoas sentem ao experienciar essa sensação.

Veja a seguir 15 maneiras de mudar a sua vida agora:

Descubra coisas novas e inéditas todos os dias, seguindo o exemplo de Stefannia e Elisa, do blog 365 Nuncas

Descubra coisas novas e inéditas todos os dias, seguindo o exemplo de Stefannia e Elisa, do blog 365 Nuncas

Foto: Reprodução

Faça ao menos uma coisa boa por dia. Foi o que fez este publicitário mexicano, que registrou tudo em imagens

Faça ao menos uma coisa boa por dia. Foi o que fez este publicitário mexicano, que registrou tudo em imagens

Foto: Reprodução

Ofereça ajuda a um estranho, como Renata Quintela, criadora de projeto que ajuda as pessoas no que elas precisam naquele momento

Ofereça ajuda a um estranho, como Renata Quintela, criadora de projeto que ajuda as pessoas no que elas precisam naquele momento

Foto: Milene Milan

Recicle, reuse, reaproveite. Como a família Green, que encheu apenas um saco de lixo pelo ano todo

Recicle, reuse, reaproveite. Como a família Green, que encheu apenas um saco de lixo pelo ano todo

Foto: Reprodução

Ajude alguém doente -- como Dylan, 6 anos, que escreveu um livro para levantar fundos para pesquisa sobre o problema de um amigo

Ajude alguém doente — como Dylan, 6 anos, que escreveu um livro para levantar fundos para pesquisa sobre o problema de um amigo

Foto: Divulgação

Viaje sem rumo. Foster Huntington abandonou o emprego e foi viver em sua van, viajando pelo oeste dos Estados Unidos

Viaje sem rumo. Foster Huntington abandonou o emprego e foi viver em sua van, viajando pelo oeste dos Estados Unidos

Foto: Reprodução

Melhore a cidade onde mora. Essa é a ideia por trás do projeto The Pothole Garden, que enfeita buracos em Londres

Melhore a cidade onde mora. Essa é a ideia por trás do projeto The Pothole Garden, que enfeita buracos em Londres

Foto: Divulgação/The Pothole Garden

Use seus dons. O dono da Mo's Bows, Moziah Bridges, é um garoto determinado e criativo

Use seus dons. O dono da Mo’s Bows, Moziah Bridges, é um garoto determinado e criativo

Foto: Annabella Charles/ Mo’s Bows

O garoto sempre gostou de costurar, e emprega sua habilidade fazendo gravatas

O garoto sempre gostou de costurar, e emprega sua habilidade fazendo gravatas

Foto: Reprodução

Aposte em pequenas gentilezas. O Projeto Amélia espalha mensagens que visam melhorar o dia de quem as encontra

Aposte em pequenas gentilezas. O Projeto Amélia espalha mensagens que visam melhorar o dia de quem as encontra

Foto: Divulgação/Projeto Amélie

Pequenas mensagens de gentileza são coladas em lugares improváveis

Pequenas mensagens de gentileza são coladas em lugares improváveis

Foto: Divulgação/Projeto Amélie

Expresse gratidão: isso deixa a vida mais feliz

Expresse gratidão: isso deixa a vida mais feliz

Foto: Thinkstock Photos

Trabalhe com algo que você gosta. Ex-empresário, Durval mudou de vida para fazer o que o deixava feliz e hoje viaja o Brasil criando chapéus

Trabalhe com algo que você gosta. Ex-empresário, Durval mudou de vida para fazer o que o deixava feliz e hoje viaja o Brasil criando chapéus

Foto: Divulgação

Troque experiências e aprenda coisas novas. Essa é a proposta da rede social Bliive: uma troca de tempo

Troque experiências e aprenda coisas novas. Essa é a proposta da rede social Bliive: uma troca de tempo

Foto: Divulgação

Retome hábitos antigos, como escrever à mão. É a ideia do tumblr MinhaLetra

Retome hábitos antigos, como escrever à mão. É a ideia do tumblr MinhaLetra

Foto: Reprodução

Experimente a liberdade de ficar um tempo determinado sem fazer algo que parece muito importante, mas que no fundo não é essencial -- como compras

Experimente a liberdade de ficar um tempo determinado sem fazer algo que parece muito importante, mas que no fundo não é essencial — como compras

Foto: Thinkstock Photos

Converse com estranhos. Pilar era vizinha da fotógrafa Monalisa, mas elas só se conheceram devido ao projeto de Monalisa de clicar estranhos na rua

Converse com estranhos. Pilar era vizinha da fotógrafa Monalisa, mas elas só se conheceram devido ao projeto de Monalisa de clicar estranhos na rua

Foto: Monalisa Marques / Uma pessoa por dia

Carolina doou 45 centímetros de cabelo para a confecção de perucas

Carolina doou 45 centímetros de cabelo para a confecção de perucas

Foto: Monalisa Marques / Uma pessoa por dia

Comentários: (0)






Sem Parar
-
Anhanguera