Cintas para gestantes podem machucar o bebê?

Giovanna Tavares

O objetivo do acessório é garantir mais conforto; uso com pressão excessiva, porém, pode ter efeitos negativos

Os sintomas clássicos que confirmam uma gestação são muitos. Alguns, só são sentidos pelas futuras mamães. O que fica mais claro para amigos e familiares, porém, é o crescimento discreto da barriga nos primeiros meses de gravidez.

Recentemente, a atriz Fernanda Machado foi alvo de comentários na internet após afirmar que usa uma cinta para esconder o crescimento natural do abdome, por conta da profissão.

O principal questionamento dos leitores era sobre os efeitos do uso da cinta para a saúde do bebê. De acordo com especialistas ouvidos pelo Delas, a cinta exclusiva para gestantes não é prejudicial, desde que utilizada de forma adequada.

“Ela é recomendada quando a mulher apresenta dores em relação à postura. Então, ela alivia o desconforto e dá mais firmeza ao abdome, que está crescendo. Por outro lado, não é recomendado usar as cintas pós-parto, porque essas acabam comprimindo a barriga e comprometem a circulação sanguínea da região”, afirma a ginecologista e obstetra Erica Mantelli.

De acordo com ela, a cinta destinada às gestantes consegue pegar a parte de baixo do abdome e a região da lombar, o que provoca a sensação de alívio nas costas. Ela não machuca porque é feita de um tecido elástico, que se adapta à curvatura da barriga. Outra vantagem é que a cinta melhora a circulação sanguínea dos membros inferiores, diminuindo o desconforto das pernas e o aparecimento de vasos.

Image a2aaqxhfivhjo9mop5yvoz4gc.jpg

Além disso, o aumento do hormônio progesterona durante a gestação provoca o relaxamento da musculação, bem como a vasodilatação. “Isso faz com que a gestante tenha a impressão de que está ficando com a parede abdominal fica mais frouxa. Além de melhorar o eixo de equilíbrio, porque joga a sustentação da barriga para as costas, a cinta dá a sensação de bem-estar. A pressão que ela faz na barriga da mãe também melhora o fluxo sanguíneo e a vascularização”, reforça Renato de Oliveira, ginecologista e obstetra.

Perigos do abuso

O objetivo das cintas é um só: aliviar alguns desconfortos decorrentes da gestação. Por isso, elas não podem se transformar em mais uma dor de cabeça. Em geral, existem poucas contraindicações para o uso desse acessório. Segundo Renato de Oliveira, se a gestante possui um problema articular mais grave ou uma condição diferente na coluna, como uma escoliose acentuada, é importante que o obstetra acompanhe os efeitos da cinta para a gravidez, de modo a não piorar nenhuma das condições.

O uso inadequado pode, sim, colocar a saúde da mulher (e também do bebê) em perigo. Quando a cinta está apertada demais, há a alteração da circulação sanguínea – consequentemente, o bebê corre o risco de receber menos oxigênio.

“Quando a gestante tira aquela cinta extremamente apertada, o fluxo sanguíneo volta ao normal. Essa mudança pode baixar a pressão, fazendo com que a mulher desmaie. Na pior das hipóteses, ela pode se machucar ao cair no chão”, alerta Erica Mantelli.

Mesmo assim, essa é uma situação extrema, que só acontece se o abuso for frequente e intenso demais. Se o propósito é estético, para realmente esconder a barriga, as complicações podem ser um pouco mais sérias. O desejo de esconder a gravidez vem acompanhado de outras angústias, igualmente estressantes.

“Uma paciente que quer esconder a gestação passa por um estresse físico e emocional muito grande, porque não é uma coisa natural. O estresse, por sua vez, é uma das principais causas de parto prematuro. Claro que não é a cinta que faz isso, única e exclusivamente. Mas o uso com o propósito errado é, sim, um agravante que pode preocupar”, ressalta Renato de Oliveira.

Se a necessidade de disfarçar a barriguinha tem a ver com a atividade profissional da gestante, como no caso da atriz Fernanda Machado, a dica da especialista Erica Mantelli é tentar alguns truques com as próprias roupas para gestantes. Algumas modelagens e cores conseguem disfarçar o crescimento da barriga e um possível ganho de peso, dispensando o uso da cinta.

Essas peças, inclusive, vêm com modelagens que deixam a mamãe confortável, sem apertar a região da barriga. Não há nenhum problema em usar calças antigas, porém, que possuem pouca elasticidade. “É só a questão do conforto que pode acabar incomodando a gestante, como no caso daquelas calças jeans sem elástico. Mas elas não oferecem nenhum tipo de risco ao bebê, já que não é nada extremo”, garante a ginecologista.

Comentários: (0)