4 dicas para iluminar corretamente espaços com plantas

Veja como tornar os espaços mais aconchegantes e garantir a saúde da vegetação nos ambientes

Tem crescido cada vez mais o número de pessoas que desejam aumentar a conexão com a natureza mesmo dentro de casa. Não é à toa que o estilo Urban Jungle tem caído do gosto popular. O resultado disso pode ser visto nos projetos de decoração mais recentes, cheios de verde e alegria.


Aproveitando esse momento, a Yamamura, em parceria com o arquiteto Pietro Terlizzi e a SCA Jardim Europa, traz várias inspirações para decorar e iluminar corretamente os ambientes com plantas e flores. Confira!

1. Utilize janelas e luzes de LED

Para quem gosta de cultivar plantas dentro de casas e apartamentos, é imprescindível cuidar da iluminação que fica próxima delas. Durante o dia, a recomendação é deixá-las mais próximas das janelas ou áreas abertas, para elas crescerem saudáveis – desde que respeitadas às particularidades de água e luz de cada uma.

Já à noite, quando falamos sobre luzes artificiais, a tecnologia LED é uma grande aliada, pois além de mais econômica e sustentável, não emite calor e não permite que pétalas e folhas sejam queimadas com os fachos de luz.

2. Invista em elementos que valorizam a decoração

Entre as luminárias mais indicadas para a iluminação de plantas estão os versáteis spots de sobrepor (diretamente no teto ou em trilhos). Já para quem prefere algo mais clean, pequenos plafons com lâmpadas minidicróicas ou R-70 transformam o contraste do claro e do escuro em um local mais convidativo.

Outras peças como arandelas, pendentes, luminárias de mesa ou piso também podem ser utilizados, pois trazem funcionalidade e beleza. Na decoração, aposte em tons naturais, como os terrosos e verdes, além de vasos e elementos em madeira, tecidos e fibras naturais.

3. Preste atenção na temperatura das cores

Para a iluminação próxima de plantas e vegetações, em áreas internas ou externas , a temperatura de cor branco quente (2700K a 3000K) é uma boa pedida, em razão do tom mais amarelado, para que o espaço receba um ar mais aconchegante.

Outra opção é o branco neutro (até 4000K), temperatura que permite que o tom natural das folhagens seja o centro das atenções. Recomenda-se manter uma distância razoável entre plantas e peças de iluminação, sempre considerando a área a ser iluminada, o foco e o efeito de luz.

4. Escolha as peças de iluminação corretas

Entre as peças de iluminação mais indicadas estão o balizador, o embutido de solo, o projetor, o espeto, o cordão de luz, a arandela, a fita de led e o poste. Eles estão disponíveis em diversos formatos, efeitos e intensidades. Pendentes e plafons também podem ser usados nesses locais, desde que tenham especificação para área externa. ​

Como são áreas mais vulneráveis às intempéries, vale investir em produtos com grau de proteção superior a IP65, o que garante maior resistência à chuva, ao sol e outros fenômenos. Sendo assim, quando o produto possui IP65 significa que é resistente à prova de poeira e a respingos d’água, enquanto aqueles com IP67 possuem resistência à poeira e a imersão temporária do produto na água.

Comentários: (0)






Sem Parar