Pedro Cardoso ataca Globo e faz grave acusação de exploração contra emissora

Afastado da Globo desde , após o fim do seriado A Grande Família, o ator Pedro Cardoso explicou por meio da mais-valia como a emissora lucrou com seu trabalho

O ator Pedro Cardoso, que fez sucesso em todo o país ao interpretar o personagem Agostinho Carrara no seriado A Grande Família, da TV Globo, fez um profundo desabafo em relação à emissora carioca, e utilizou o conceito marxista da mais valia para explicar como o grupo Globo enriqueceu às custas de seu trabalho.

A revelação de Pedro Cardoso foi feita durante entrevista ao apresentador e jornalista Marcelo Tas, no programa Provocações, da TV Cultura. Segundo o famoso, ele não enriqueceu nos anos em que foi contratado da Globo, mas ajudou, com seu trabalho, a aumentar o lucro da emissora.


“Nenhuma pessoa fica rica sem explorar a mais-valia imensamente. Eu tô para encontrar um economista que me mostra uma outra estrutura de ficar rico que não seja você não dividir a riqueza do seu trabalho de maneira justa com as pessoas que produziram esse trabalho pra você”, afirmou Pedro Cardoso.

Marcelo Tas, então, questiona se Pedro Cardoso ficou rico a partir do conceito de mais-valia.

“Não me deixou rico, quem ficou rico com o Agostinho foi a Rede Globo. A Rede Globo, que é o capitalista naquele negócio, é que tem possibilidade de ficar rico”.

Pedro Cardoso continua, “eu tenho 57 anos e eu não tenho uma economia que me possibilite não trabalhar. Eu venho ao Brasil trabalhar. E venho ao Brasil trabalhar pelo dinheiro da bilheteria. Se eu não acordar de manhã e for trabalhar, não tem uma estrutura de exploração do trabalho de outras pessoas que faz dinheiro pra mim enquanto apenas emprego meu capital ali. Eu não acho isso uma relação justa. Acho isso uma relação que produz pobreza”, completou o ator.

Pedro Cardoso também falou sobre o lema de campanha do atual presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e o questionou:

“A pessoa que acha que o pensamento dela dá a ela o direito de se impor ao outro como agora, ‘Deus acima de tudo’, que é o lema do fascismo vigente no Brasil. Como Deus pode estar acima de mim que não creio em Deus? Como alguém pode dizer pra mim que o Deus dele está acima de mim? Porque quando a pessoa diz ‘Deus acima de tudo’, é o Deus da pessoa, não é um Deus de qualquer um. Qual é o Deus que é posto acima de tudo? Na história da humanidade a gente sabe que todo mundo que fala em Deus tá, na verdade, escondendo a sua vontade de ascensão social e de ganhar dinheiro”, concluiu Pedro Cardoso, o Agostinho Carrara de A Grande Família.


Anhanguera

Comentários: (0)







Anhanguera