Pimenta rosa promete ser a nova tendência para controle da rosácea

Ingrediente chega ao mercado dermatológico como fonte natural de vitaminas A, B1, B2, C e E, além de cálcio e ferro

A pimenta rosa é uma verdadeira descoberta para o controle da rosácea e da sensibilidade. Fruto da árvore da aroeira brasileira, o fitoativo age na estrutura da pele e tem diversas propriedades terapêuticas. Sua fama iminente não é à tona: ele pode ser aplicado em diferentes casos relacionados ao desequilíbrio cutâneo e ainda oferece ação anestésica, anti-inflamatória, antimicrobiana, bactericida, antisséptica e antifúngica.


Pesquisas cientificas, publicadas em grandes veículos relacionados à dermatologia, provam que a pimenta rosa tem a capacidade de estabilizar a rosácea e a sensibilidade, além de outros benefícios à saúde. Sem contar a alta concentração natural de vitaminas A, B1, B2, C e E, além de ser um booster poderoso de cálcio e ferro.

Segundo a dermatologista e diretora científica da marca Noviole, Daniele Balbi, “uma das principais queixas nos consultórios é a sensibilidade do rosto e do couro cabeludo; e formulações à base de pimenta rosa atuam como sequestradores de radicais livres, inibindo o estresse oxidativo, além de prevenir a liberação de substâncias pro-inflamatórias”.

Mas será que qualquer pessoa deveria usar? A médica ressalta que a indicação deve ser feita sempre por um dermatologista, de acordo com a necessidade de cada um, mas estudos comprovam que o componente não oferece risco a nenhum tipo pele.

“Estudos mostram que alterações na microflora da derme desempenham um papel importante em condições como dermatite atópica, psoríase, acne e câncer de pele. Atualmente, existem mais de 45 milhões de pessoas vivendo com alguma patologia associada às irritações, sendo 10% somente no Brasil”, completa.

Com objetivo de atender às necessidades desse mercado, a marca desenvolveu uma linha para controle da rosácea e da sensibilidade, que inclui um sérum facial e um shampoo sólido que prometem estimular os mecanismos naturais de defesa, tornando a pele mais resistente e com menos irritação, de forma prolongada.

Os dois produtos possuem fitoativos dermatológicos provenientes da biodiversidade brasileira e, com a pimenta rosa, associada a outros ativos naturais, como açaí, pequi e aloe vera, devem oferecer ação altamente neurocalmante, antioxidante, anti-inflamatória, cicatrizante, hidratante e reparadora da barreira cutânea, controlando a rosácea e demais sintomas – como eritema, ardência, prurido e dolorimento.

Os resultados clínicos, após 30 dias de uso, foram, segundo a própria marca:

  • 80% notaram controle da rosácea, com até 100% de regressão do eritema;
  • 83%, ação calmante imediata e controle da sensibilidade;
  • 87%, hidratação do rosto e do couro cabeludo sensíveis/sensibilizados;
  • 80%, diminuição da vermelhidão, ardência, queimação e coceira da pele.

os testes clínicos foram realizados com 32 pacientes, entre mulheres e homens, de 18 a 65 anos.


Anhanguera

Comentários: (0)